Por que certificar sua produção de café orgânico?

Por que certificar sua produção de café orgânico?

Por que certificar sua produção de café orgânico?

Já não é novidade que o Brasil é o maior produtor e exportador de café no mundo, sendo responsável por 27% da produção mundial. Produzir café orgânico pode ser uma oportunidade de aproveitar esse mercado, já que o Brasil exporta para mais de 150 países. Além de cumprir um papel socioambiental na produção, o café orgânico pode ser um importante diferencial para incrementar sua comercialização e seu negócio. 

A perspectiva é de que o consumo mundial de café cresça 1,4% entre o biênio 2020-2021, o que representa um aumento de 9,8 milhões de sacas de 60 kg em relação ao período anterior. A produção global de café tem sido alavancada justamente pelo Brasil, que tem neste ano de 2020 a segunda maior safra da história, estimada em mais de 60 milhões de sacas de 60 kg. 

Também com o posto de segundo maior consumidor de café no mundo, o Brasil possui um grande potencial para os produtores de café também no próprio mercado interno. 

Segundo a Cecafé (Associação dos Exportadores de Café do Brasil), o maior destino do café brasileiro são os Estados Unidos. Em seguida, estão alguns países da União Europeia, como Alemanha, Bélgica e Itália, e o Japão. 

Este mesmo conjunto de países é o destino de cafés chamados diferenciados, ou seja, aqueles de qualidade superior ou que possuem certificado de práticas sustentáveis – entre eles o café orgânico. O volume de cafés diferenciados representa 16,8% de todo o café nacional exportado, gerando uma receita de US$ 834,6 milhões só em 2020. 

 

Certificação de café orgânico 

É justamente para garantir essa qualidade superior para os exigentes consumidores internacionais que existe a possibilidade de certificar o café orgânico. A certificação orgânica é feita por uma certificadora credenciada pelo MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e acreditada pela CGCRE do INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

Certificar um produto comprova que o produtor ou a indústria processadora do alimento (no caso, do café orgânico) segue todas as normas de sustentabilidade, processamento, rastreabilidade, além de cumprir a lei com inspeções anuais regulares. Com isso, a empresa que certifica seu produto estabelece uma relação de proximidade e confiança com o consumidor. 

A presença de um selo de certificação no rótulo do seu café orgânico, como o da Ecocert, por exemplo, demonstra para o consumidor uma série de valores: preservação do meio ambiente, combate ao trabalho infantil, inclusão social e tratamento aos colaboradores sem discriminação. O selo evidencia que o produtor, a processadora de alimentos e a indústria contribuem para o bem-estar da comunidade e oferecem condições justas de trabalho.

Para ser certificado, o café orgânico precisa cumprir diversos requisitos para a produção e o processamento e, após sua obtenção, deve apresentar balanço de fluxos, entrada de insumos, produtividade por hectare, registro de colheita, registro de venda, assim como os itens necessários para a manutenção da certificação. 

As projeções com relação ao café indicam que a Ásia irá acelerar o avanço do consumo do produto, liderada pela China, que em 2019 foi o país asiático que mais consumiu café brasileiro, seguida pela Coreia do Sul e o Japão. Nós já falamos no blog da Ecocert sobre o mercado de orgânicos no Japão e as possibilidades de ampliar o comércio destes produtos. O café orgânico pode incrementar a oferta de produtos orgânicos no país. 

 

Comércio Justo e suas vantagens

Como o café é um mercado promissor, os produtores brasileiros, principalmente os pequenos ou agricultores familiares, podem e devem se inserir nesse mercado. Apoiados por um movimento global do Comércio Justo (Fair Trade), que promove seu desenvolvimento sustentável e fortalecimento, estes produtores podem comercializar seu café orgânico sob a certificação Fair for Life. 

O café é atualmente o principal produto com a certificação Comércio Justo. De modo geral, o setor cafeeiro tem várias certificações, como o Rainforest Alliance e o C.A.F.E. Practices. Mas a certificação de Comércio Justo possui um potencial de desenvolvimento grande e é capaz de abrir novos canais de venda que vários dos selos não têm acesso.

Outra vantagem do selo Fair for Life é que ele traz um processo diferenciado: a certificação mostra a prática de preços justos, incentiva a conexão dos produtores responsáveis com consumidores que desejam um mundo mais sustentável e combativo à exploração comercial, pois garante a estabilidade dos pequenos produtores a longo prazo. 

Outros benefícios desta certificação são o preço e relação comercial justos para garantir uma vida digna e saudável e o preço mínimo, evitando que os produtores sofram com as instabilidades econômicas e flutuações do mercado local ou global. Além disso, existe o 

Prêmio de Comércio Justo, no qual a comunidade produtora recebe um bônus para ser investido em melhorias econômicas, sociais e ambientais de acordo com suas necessidades. 

A Ecocert é uma organização comprometida com práticas mais sustentáveis que atestam o controle e a rastreabilidade de toda a cadeia produtiva, seja de orgânicos, segurança alimentar, comércio justo ou certificação verde.  

Se você tem interesse em entender como funciona a avaliação do processo produtivo para obter uma certificação e como acontece a decisão do selo mais adequado para a sua produção, confira nosso ebook com o passo a passo para certificar

Publicado em
2 Comentários
  • erotik
    Publicado em 12:33h, 13 novembro Responder

    Article writing is also a excitement, if you be familiar with after that you can write or else it is complex to write. Mercedes Nye Annmaria

  • sikis izle
    Publicado em 05:38h, 14 novembro Responder

    Wonderful article! We will be linking to this great content on our website. Keep up the good writing. Gilbertina Tomkin Livesay

Comentar

Top