Como o consumo de orgânicos ajuda no combate à poluição por agrotóxicos?

Como o consumo de orgânicos ajuda no combate à poluição por agrotóxicos?

combate à poluição por agrotóxicos

O dia 11 de janeiro marca o Dia do Combate à Poluição por Agrotóxicos no Brasil. A partir do Decreto nº 98.816 publicado na mesma data do ano de 1990, a fiscalização do uso de agrotóxicos passou a ser mais rigorosa.

Os agrotóxicos são produtos utilizados para eliminar pragas em lavouras e  plantações. Ao entrar em contato com o alimento, os resquícios de veneno causam intoxicação, além de uma série de outras doenças graves para os seres humanos.

Por outro lado, o consumo de alimentos orgânicos – sem uso de agrotóxicos – só traz benefícios tanto para a nossa saúde quanto para o meio ambiente.  Alimentos saudáveis, sem o uso de pesticidas, estão ganhando cada vez mais destaque no mercado. 

Isso se deve ao fato de que a preocupação com a sustentabilidade ambiental só cresce e a tendência é que a população escolha alimentos produzidos através de processos que visam mais a qualidade, em detrimento da quantidade.

Ao contrário de alimentos produzidos com o uso de agrotóxicos, os alimentos orgânicos contribuem para a conservação e fertilidade do solo, além de manter o bem-estar dos animais.

Quanto mais cresce o consumo de alimentos orgânicos, mais ajudamos no combate à poluição por agrotóxicos.

 

Menos agrotóxico, mais saúde

Infelizmente o Brasil está no topo da lista dos países que mais utilizam agrotóxicos no mundo e ainda conta com um número expressivo de pessoas com doenças provocadas pela ingestão desses produtos.

E apesar de toda a população permanecer suscetível à exposição de agrotóxicos, seja apenas através do consumo, ou durante a jornada de trabalho, os agricultores rurais são os mais afetados por estes produtos.

Entretanto, ao consumir orgânicos, a população contribui diretamente para a melhoria das condições de vida não só dos agricultores rurais, como das comunidades, à medida que incentiva a produção sustentável dos alimentos e gera emprego e renda.

Além dessa vantagem, os alimentos orgânicos fazem bem ao organismo, uma vez que carregam mais defesas naturais.

Nos tomates orgânicos, por exemplo, podemos encontrar o licopeno, antioxidante que ajuda na prevenção do câncer, assim como na cenoura existe o caroteno, que reduz os riscos de infarto.

Com o uso de agrotóxicos, essas substâncias perdem a força das suas defesas naturais.

 

Alimentos orgânicos e a sustentabilidade

O uso de agrotóxicos afeta diretamente as plantas e os animais. Segundo um estudo realizado pela  Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), muitas espécies de abelhas estão desaparecendo em consequência do uso dos venenos nas plantações.

No entanto, a partir do consumo de alimentos orgânicos, o meio ambiente é respeitado, uma vez que a produção deste tipo de alimento – sem veneno – não polui rios, dificulta a entrada de produtos químicos no solo e ainda ajuda na conservação da biodiversidade.

Portanto, diante de todas essas comparações, é possível fazer um paralelo entre a necessidade de combater o uso de veneno nas lavouras e o aumento da procura por alimentos orgânicos no país. 

Conforme abordamos em Orgânicos: metade dos consumidores os ingerem diariamente, o consumo de alimentos orgânicos durante a pandemia aumentou significativamente.

A tendência é que este número cresça ainda mais.

E hoje, ao analisar o mercado cada dia mais competitivo, é possível identificar que aquelas empresas que demonstram preocupação com o tema, ganham mais destaque e, consequentemente, mais força para suas marcas.

O fato é que cada um de nós pode e deve fazer a sua parte. Um bom começo é dar preferência ao consumo de produtos orgânicos e incentivar que as empresas que ainda não aderiram a este movimento, o façam. 

Se você quer conhecer mais sobre o processo de certificação, acesse o guia que traz o passo a passo

Publicado em
Categorias:
Orgânicos
Nenhum comentário

Comentar

18 − 17 =

Top